sábado, agosto 27, 2005

CARRINHO DE FEIRA


Na noite negra
de madrugada fria
ouço o rolar.
Como se na caatinga
o carro de boi viesse
com muito gás no "cocâo"
a cantar, cantar....
Qual nada,
era a roda
de um carrinho de mão
guiado por um menino.
Na cama quente, deliciosa
um copo de leite com espuma,
na rua,
o menino da feira
boca amarga
estômago vazio
a procura de dinheiro.
O carrinho enche
sua barriga ôca
abacaxis
mangas
laranjas
bananas
tomates,
e o menino aspira
seu almoçar.
Sem abacaxis
ele recebe
a cédula velha
de um cruzeiro
rasgada,
desvalorizada
e volta
em busca doutra carga
para aspirar
seu almoçar.
Depois,
volta pra casa
roda calada
denuncia a tristeza
do dono menino
do carrinho de feira.
Chl
Set/1978

4 comentários:

Karl Leite disse...

Chagas,
Beleza... homem!!!!
Abs, Karl

Márcia disse...

Chega a doer de belo.
Um beijo daqui.

Celso disse...

Muito bonito este texto. Nostálgioco e doloroso. Primeira vez aqui, mas voltarei.

Saudações

Chagas Lourenço disse...

Obrigado, Karl,MM, Celso
Chl.