quinta-feira, dezembro 13, 2007

CHUVA NO TELHADO


Não ouvi
o farfalhar da chuva
no telhado,
dormia profundamente.
Sequer ouvi
o alarme estridente.
Senti apenas
os pingos dos teus sentimentos
inundando
meu coração.
Chl
Dez/2007

2 comentários:

RASCUNHOS -Yasmine Lemos disse...

passeando nos blogs alheios,é bom encontrar coisa boa pra ler.
delicado poema e um coração de poeta cada dia mais sensivel.
parabéns
um bj da amiga curiosa.

Zélia Maria Freire disse...

Nada mais nostálgico do que chuva no telhado... Bonitos versos.