quarta-feira, junho 22, 2005

ESPERANÇA



Dê esperanças
à Lua
quando, novamente
ela brilhar,
estarei aqui
para apreciá-la.
Dê esperanças
ao Sol
quando,ressurgir
vou dourar
e vou sentí-lo.
Dê esperanças
ao Amor
quando, ele vier
estarei aqui
-sempre-
a esperá-lo.
Chl.

Jun/2005

Um comentário:

Márcia Maia disse...

É isso mesmo. Um belo poema.
Eu também estarei aqui a esperar, se o amor quiser me visitar. ;)

Beijo do Recife.