domingo, junho 19, 2005

LIBERDADE CONDICIONADA


Quando me enrosco em teus braços
debaixo dos teus "cheiros"
fico completamente indefeso,
como um lírio brejeiro
como a areia da praia
que o vento sopra nas dunas
como a espuma das ondas
das águas do mar,
como um peixe na rêde
sem poder se livrar.
A relva do campo
na terra fincada
a liberdade dos homens
condicionada
são as meias verdades
que alguém, um dia falou
é a rotina da peça
que a censura cortou.
É o grito encravado
em cada garganta
é a voz desse povo
que não se levanta,
mas é tudo que quero
e que sempre quiz
apesar disso tudo
eu sou muito feliz.
Chl.
Mai/1979

2 comentários:

Márcia Maia disse...

Pense numa alegria nesse domingo de manhã?! Adorei. Bem-vindo à Blogosfera, meu amigo tão querido.
Todos os beijos e mais um. Além da saudade, é claro,

Márcia

http://www.tabuademares.blogger.com.br

http://www.mudancadeventos.blogger.com.br

Orf disse...

Demorei uns segundos para entender o 'condicionada'...valeu! belissima construção e como diria Car'Anton: perfeita a junção dos tercetos...